Arquivo da tag: ave Fênix

As Três Peneiras de Sócrates

As Três Peneiras de Socrátes

Um home foi ao encontro de Sócrates levando ao filósofo uma informação que julgava de seu interesse:

  Quero contar-te uma coisa a respeito de um amigo teu!

 – Espera um momento – disse Sócrates – Antes de contar-me, quero saber se fizeste passar essa informação pelas três peneiras.

 – Três peneiras? Que queres dizer?

 – Vamos peneirar aquilo que quer me dizer. Devemos sempre usar as três peneiras. Se não as conheces, presta bem atenção. A primeira é a peneira da VERDADE. Tens certeza de que isso que queres dizer-me é verdade?

 – Bem, foi o que ouvi outros contarem. Não sei exatamente se é verdade.

 – A segunda peneira é a da BONDADE. Com certeza, deves ter passado a informação pela peneira da bondade. Ou não?

 Envergonhado, o homem respondeu:

 – Devo confessar que não.

 – A terceira peneira é a da UTILIDADE. Pensaste bem se é útil o que vieste falar a respeito do meu amigo?

 – Útil? Na verdade, não.

– Então, disse-lhe o sábio, se o que queres contar-me não é verdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.

 

 

Anúncios

Artigo: Como a Fênix – Renascer a cada ciclo

Como a Fênix – Renascer a cada ciclo por Eunice Aboláfio

Fênix, a ave mitológica que simboliza o renascimento. A capacidade humana de enfrentar as dificuldades, entregando-se ao processo de transformação consciente para tornar-se um ser humano cada vez melhor. 

A ave Fênix percebe o final de um ciclo de sua vida e a necessidade de transformar-se para continuar a viver. Aconchega-se em um ninho de ervas aromáticas e com sua própria força interior, queima seu corpo até restarem apenas cinzas. Dessas cinzas, misturadas aos restos de ervas queimadas, renascerá outra ave, apta a enfrentar um novo ciclo de sua existência. 

O processo de renascimento ocorre inevitavelmente na nossa vida, assim como na vida de qualquer organização. 

Os cenários se transformam cada vez mais rápido e desafiam seus participantes a aprimorarem suas respostas com aproveitamento da tecnologia, do conhecimento e da sutileza no trato com as pessoas, em prol dos resultados. Trata-se da versão moderna da seleção natural, que privilegia os mais ágeis e flexíveis aos processos de mudanças, mas faz sofrer quem se acomoda ou se apega às situações conhecidas.

Triunfam, com consistência, aqueles que acompanham as mudanças externas, com a coragem necessária para queimar seus velhos conceitos, preconceitos e paradigmas, com respeito à ética e aos valores humanos. 

Novas escolhas conscientes podem elevar o indivíduo para níveis de comportamentos superiores, onde a sua vida profissional e pessoal sejam aprimoradas, respeitadas e tragam o sentimento interno de plenitude e felicidade.

Em 2003, quando repentinamente minha filha de 23 anos deixou a vida terrena, minha dor conduziu um processo de grande introspecção. Passei a minha vida a limpo, senti as pessoas e a mim mesma como nunca pensei ser capaz e estas novas experiências me fizeram enxergar a vida e as pessoas com novos olhos. Minha total entrega, aliada a um profundo e novo estado de consciência, traziam a certeza de poder me “deixar queimar”, como a Fênix, para permitir o renascimento de uma mulher pronta para um novo e importante ciclo de vida. 

Aprofundei meus estudos naquilo que pensava já ter aprendido, para realmente ajudar pessoas em seus processos de mudanças, com total respeito aos seus talentos naturais e valores que as norteiam. Conduzo ao autoconhecimento e ao entendimento. Naturalmente apoio, compartilho conhecimentos e facilito as ações que despertam a criatividade e positividade, para a obtenção de resultados sustentados, incluindo ambientes familiares e corporativos mais saudáveis e felizes.

Assim renasci e fundei a Fênix Comportamental com uma metodologia própria, aprimorada a cada novo cliente e aprendizado. Participar com consciência e atitude do processo de Assessment e Coaching, também será uma sábia escolha, para quem deseja crescer e evitar sofrimentos desnecessários.

Como disse Carlos Drummond de Andrade: “A Dor é certa, o Sofrimento é opcional”